Conversando Com Radha Burnier

Conversando Com Radha Burnier

Não é Possível Dar Uma Completa
Expressão à Verdade Através de Palavras

Carlos Cardoso Aveline

 

Duas Décadas Depois: Nota de 2020

O artigo a seguir é reproduzido da revista “Planeta”, de São Paulo, edição de novembro do ano 2000. A entrevista com Radha ocorreu em Brasília em setembro daquele ano. Depois deste diálogo, a teosofista indiana permaneceria mais treze anos à frente da Sociedade Teosófica de Adyar, até sua morte em 31 de outubro de 2013.

A pessoa de Radha Burnier não me é indiferente. 

Ingressei na Sociedade de Adyar em 1980 e participei do seu trabalho durante duas décadas. Entre 2000 e 2002 vi que os seus líderes, quando confrontados com evidências irretorquíveis de que a estrutura de poder ritualista da Sociedade tem por base fantasias e fraudes,  aceitavam implicitamente os fatos – até porque não tinham outra alternativa – mas evitavam fazer qualquer coisa prática para superar os erros do passado. A política era de acobertamento. (…)

 

Clique e leia
“Conversando com Radha Burnier”

 

000

Radha desligou-se da vida física aos 90 anos, em 31 de outubro de 2013, no mesmo mês em que foi lançado o livro de Carlos em defesa de Blavatsky, “The Fire and Light of Theosophical Literature”. 

Para compreender a nova fase da história do movimento teosófico que se abriu em 2013, leia o artigo “Abandonando os Frutos da Falsa Clarividência”, especialmente nos seus parágrafos finais, após o subtítulo “Radha Burnier Acelera o Processo de Renovação”.

000 

O texto “Conversando com Radha Burnier” foi publicado nos websites ligados à Loja Independente de Teosofistas no dia 27 de novembro de 2020, ou seja, sete anos após o final da vida física de Radha.  

000

Helena Blavatsky (foto) escreveu estas palavras: “Antes de desejar, faça por merecer”. 

000