A Metafísica é a Alma do Progresso

A Metafísica é a Alma do Progresso

O Papel da Filosofia e da Ética
No Desenvolvimento dos Povos

Carlos Cardoso Aveline

 

A filosofia metafísica expande a mente de um povo, fortalece o seu pensamento e o torna mais apto para o êxito nas diferentes dimensões da vida. Sua ausência, por outro lado, dificulta o progresso cultural e econômico.    

Quando o ponto de vista é estreito, o essencial é invisível aos olhos: e mesmo assim o essencial não deixa de existir.

Não é a ambição cega que impulsiona o progresso dos povos, mas a força mental dos seus cidadãos, e a sua capacidade de criar. Daí a frase famosa atribuída a Monteiro Lobato:

“Um país se faz com homens e livros.”

O estudo das filosofias universais e clássicas expande a capacidade de pensar das comunidades. Em qualquer momento histórico, os países mais poderosos e criativos do mundo possuem filosofias profundas.

O país que valoriza o estudo vivencial da filosofia – definida como amor à verdade e à sabedoria – é semelhante ao ser humano individual que preserva o contato com sua própria alma.

Os sábios e pensadores de gerações anteriores são mestres e fontes de inspiração para as gerações atuais. A filosofia universal se apoia no pensamento livre e na sabedoria sem fronteiras, que desafia as visões dogmáticas. A atitude ética diante da vida está na base da paz e da prosperidade dos povos.

O maior entrave enfrentado pelas  nações não é social ou econômico. Tampouco está em meros sintomas como a falta de uma honestidade mais forte na administração pública.

A força moral maior ou menor dos dirigentes nacionais é basicamente um sintoma da força cultural do povo como um todo. O grande adversário do progresso não está em um partido político ou uma ideologia qualquer: trata-se da preguiça mental, sempre estimulada pela busca cega da satisfação imediata.   

Ampliando o Processo do Alvorecer

A importância da filosofia teosófica não deve ser subestimada.

Nos diferentes povos, são fundamentais as obras escritas que explicam o mistério da alma imortal e ativam no ser humano a ponte entre o eu superior e o eu inferior, a secreta “escada de Jacó” entre a consciência celestial e a consciência terrestre.  

O pensamento ético universal deve fazer a ponte entre a essência das diferentes filosofias religiosas,  ao mesmo tempo que mostra o caráter falso das suas cascas externas dogmáticas.   

A força do pensamento correto renova a vida dos países. O ponto de vista teosófico é a perspectiva da alma espiritual. As filosofias clássicas do Oriente e do Ocidente alargam os horizontes de todos.  

É ilimitado o potencial positivo de qualquer país que faça brilhar a sabedoria antiga e as tradições éticas.  É lento o despertar das nações para uma visão universal que respeite a independência de cada povo e preserve a autonomia de toda pequena comunidade. A consciência espiritual não pode ser estabelecida por decreto. O amanhecer acontece através do indivíduo. A luz do novo dia surge na hora certa, sem alarde.

Cada átomo é um resumo do sistema solar, e do mesmo modo todo cidadão é um centro vivo do conjunto do despertar humano. Quanto mais cedo ele entrar em ação, melhor. A luz física e espiritual do amanhecer é imensa. O seu centro oculto está secretamente presente na consciência dos seres humanos sensatos.    

000

Uma versão inicial do texto acima foi publicada de modo anônimo na edição de março de 2014 de “O Teosofista”.  O texto foi  atualizado em 20 de abril de 2021.

Sobre o mistério do despertar individual para a sabedoria do universo, leia a edição luso-brasileira de “Luz no Caminho”, de M. C.

Com tradução, prólogo e notas de Carlos Cardoso Aveline, a obra tem sete capítulos, 85 páginas, e foi publicada em 2014 por “The Aquarian Theosophist”.

000